logotipo

QUEM SOMOS

 

Comunidade Bom Pastor - CNPJ: 59.994.467/0001-47

Fundadora: Celenita de Oliveira Coelho

Co-Fundadora: Maria Luiza Rodrigues Cury

Presidente: José Carlos Coelho - Presidente

 

Comunidade Bom Pastor nasceu da busca de uma resposta  concreta ao problema das drogas na sociedade. Oferecer aos jovens um local de acolhimento.
Somos colaboradores no processo de recuperação.

 

Desafios que nos motivaram o surgimento da comunidade:
– O grande número de dependentes químicos em Bauru e na região;

– A falta de tratamento especializado ao dependente químico e sua família;
– O crescente número de mulheres grávidas, solteiras e abandonadas;
– O crescente número de adolescentes necessitando de apoio;

– A urgência  de uma ação concreta baseada em princípios cristãos visando a promoção social visando transformação da sociedade.

 

Ordem cronológica de nossas ações

1985 – Primeiras reuniões de reflexão sobre o problema social que a drogas estavam causando na sociedade.

1986 – Encontro de Libertação organizado para dependentes químicos

02/02/1987 – ata de fundação da Comunidade Bom Pastor

1989 – Cessão de casa para reuniões de grupo de apoio

1990 – Locação da primeira Casa de reuniões do NATA – Núcleo de Apoio a Toxicomono e Alcoólicos

1991 – Inicio do grupo de Apoio para Familiares –NAFTA – Nucleo de Apio a Familiares de Toxicomonos e Alcoolicos

1991 – Inicio do Grupo Caminho e Verdade

1993 – Inicio Casa aberta

1995 – Contato com Padre Haroldo e o Amor Exigente

1996 – Parceria com o Amor exigente

1997 – Participação das Primeiras reuniões para Campanha de Fraternidade

1997 – Doação da Sede administrativa da Rua Primeiro de Maio, 7-40

1998 – Inicio dos trabalhos do grupo opção

1999 – Inicio do projeto para construção da Sede administrativa

2000 – Inicio da Comunidade Terapêutica com internação

2001 – Doação de internacional para o termino da construção da sede

2002 – Inauguração da sede administrativa  com funcionamento da Casa dia

2003 – Locação de casa para pouso da Comunidade Terapêutica

2003 – Participação na Pastoral da Sobriedade com a Fundação de 06 grupos de apoio

2003 – elaboração da Oração dos votos comunitários

2005 – Parceria com a Creche Rainha da Paz

2004 – Organização da Apostila com os Modulo para os passos da Pastoral da Sobriedade

2005 – Contrato para execução da Medida sócioeducativa de liberdade Assistida

2007 – Contrato com o Senad – projeto com adolescente em Casa aberta

2008 – Reforma do salão da Creche com a construção de uma biblioteca

2008 – Revisão da apostila dos Passos da Pastoral da Sobriedade

2009 – Execução do projeto Sonho de Paz na Creche Rainha da Paz

2008 – Compra da chácara Paraíso em Arealva

2010 – Execução do Projeto Dançando com a Rainha parceria Bom Pastor e Creche e a Cultura

2010 – Execução do projeto de acessibilidade em parceria com Petrobras na creche Rainha da Paz

2011 – Pequena Reforma na Chácara

2011 – Inauguração da Comunidade Terapêutica Feminina

2011 – Parceria com a Prefeitura para abertura do Lar Bom Pastor para 20 adolescentes masculino

2012 – Parceria com Don Irineu Danilon, com Comunidade Terapêutica em Lins

2012 – Inauguração da Casa de Passagem

2013 – Inauguração do Lar Sagrada Família

2014 – Inauguração do Lar Anawin

2014 – Formação de uma Equipe de telemarketing

 

Valores

Amor e ética como  catalisador de mudanças, desenvolvimento e conquista;

Solidariedade e Companheirismo como  capacidade para demonstrar apoio e atitudes de serviço a toda a comunidade;

Cooperação e Trabalho em equipe para realizar a proposta de trabalho  com compromisso com o poder publico e as pessoas;

Dimensão espiritual como fonte de liberdade para que o  ser humano encontre o sentido da vida e agregador da esperança e da fé;

Inovação  na busca de novas proposta para enfrentar os novos desafios sociais;

Respeito e gratidão aos doadores e voluntários.

 

Visão

Ser uma entidade reconhecida pela inovação de  seus projetos sociais e pela promoção humana.

 

Missão

Promover a sobriedade, manifestando o amor de Deus,  por meio de ações integradas de assistência social, de saúde, de ensino, de cultura e pesquisa visando a melhoria da qualidade de vida, com responsabilidade social e filantrópica.

 
 
 

É impossível neste momento não recordarmos os fatos, a história que nos une como comunidade e nos identifica na vocação de Bom Pastor.

 

Em 1984 a droga e a doença da adicção eram questões preocupantes, a região de Bauru era um entroncamento rodoferroviário formando um corredor para o tráfico de drogas, proporcionando o desenvolvimento dessa questão e nos desafiando como sociedade a tomar uma atitude. Então nos reunimos e formamos uma equipe de atendimento e triagem, encaminhando os casos para comunidades terapêuticas e hospitais psiquiátricos no ano de 1985.

 

Outros desafios surgiram, buscamos soluções, precisávamos de um espaço. Alugamos uma casa, um espaço aberto onde o dependente e seu familiar eram acolhidos e encaminhados para o tratamento. Ali funcionavam as reuniões do núcleo de apoio.

 

Em 1987 nos organizamos como entidade filantrópica e contratamos a primeira funcionária. Neste período três grandes preocupações se faziam presentes: a primeira relacionada à manutenção financeira que, até nessa data, era mantida com o dízimo de cada membro, outra era a organização de um programa de ação e a maior e mais intrigante era o futuro de nossa comunidade.

 

Precisávamos de soluções práticas, formulamos então uma programação com o objetivo de nos unir como comunidade e também de preservar o nosso ideal. A mística do Bom Pastor nos guiou e nos trouxe a unidade que desejávamos.

 

Em 1993 nos vinculamos ao Padre Haroldo J. Rham e ao Amor Exigente, o que veio acrescentar cursos e treinamento de formação para o trabalho direcionado à família e à prevenção.

 

Uma força nos movia continuamente e nos impulsionava a crescer e a nos aperfeiçoar. Buscávamos soluções que tocassem o espírito, uma ponte entre a psicologia e a espiritualidade. Organizamos nossa literatura com base nos doze passos do AA, os doze princípios de Amor Exigente e os sete lemas. Os grupos de mútuo apoio integram a espiritualidade e o autoconhecimento. Agradecemos à irmandade de Alcoólicos Anônimos a dádiva dos doze passos.

 

O crescimento nos sensibilizou e novamente fomos desafiados. Começamos então, em 1995, o projeto de construção de nossa própria sede com o apoio da Prefeitura Municipal de Bauru, que nos cedeu terreno.  Foram anos de lutas, dificuldades imensas, mas com grandes vitórias. Contamos com auxílio de muitas pessoas que doaram daquilo que lhe faltava, outros do que lhe sobrava, mas com igual carinho e interesse. E em 2002 inauguramos a nossa sede administrativa.

 

Quando realizamos nosso primeiro convênio com o estado, foi um marco, pois começamos a trabalhar com adolescentes inseridos em medida socioeducativa de liberdade assistida. No início, todas as atividades eram muito marcantes, pois era um campo desconhecido para nós. Mas contamos com o apoio de Deus e de muitos técnicos que nos ajudaram e ampliaram a visão de toda a instituição, até alteramos nosso estatuto, para que pudéssemos atender e trabalhar com esse público. Além disso, houve muitas manifestações de solidariedade, de afeto e também, aqui e ali, de algum desequilíbrio, todas próprias de um tempo de profundas mudanças. Inicialmente atendíamos 50, depois 75, 90, chegamos a 120 adolescentes e suas famílias. Encerramos esse serviço em 2010.

 

Estendemos um pouco mais as nossas tendas, pois vimos a necessidade de ampliar o atendimento do serviço da Comunidade Terapêutica, novamente respondemos o nosso sim e nos instalamos na atual sede da Comunidade Terapêutica Masculina Bom Pastor, no Jardim Cruzeiro do Sul, nossa capacidade foi ampliada de 12 para 30 vagas.  No mesmo período reformamos este prédio em parceria com a prefeitura.

 

Consolidando a vocação da Comunidade Bom Pastor, em 2011, iniciamos a Comunidade Terapêutica Feminina, nosso intuito era encontrar formas próprias e eficazes de atuar, levando a nossa experiência com a CT masculina como base do tratamento.  Assim atendemos as dependentes químicas, também gestantes e as mamães recentes acompanhadas de seus bebês. Iniciamos com 12 vagas, atualmente nossa capacidade é para 30 mulheres. Neste mesmo ano iniciamos, em parceria com a prefeitura, o atendimento de adolescentes em regime de abrigo. Inicialmente atendíamos 20 adolescentes, no ano seguinte mais 40. Entendemos que não adianta apontar problemas, é necessário suprir as necessidades. Cada vez mais acreditamos que o caminho é formar uma rede de solidariedade.

 

Em 2012, aceitamos o desafio de iniciar a Casa de Passagem Bom Pastor, para atender mulheres com dependência química e moradoras de rua. Um público muito especial e inédito dentro da Instituição. Foi uma tarefa que iniciamos  temerosos, mas que nos trouxe muitas alegrias. Agradecemos a Deus que nos achou dignos de realizar essa tarefa.

 

Seguiremos consolidando a nossa estrutura, numa gestão participativa e solidária, comprometida com a missão da Comunidade Bom Pastor.

 

Celenita Coelho.

 

 

Persista, se tudo fosse fácil, qualquer um conseguiria