logotipo
ALCOOL.jpg

ÁLCOOL

 

Classificação

Quanto à legalidade: Lícita

Quanto aos efeitos: Depressora do Sistema Nervoso Central (SNC)

 

Origem

Obtido da cana-de-açúcar, cereais ou frutas através de processo de fermentação ou destilação.

 

Onde está presente

Cerveja, Vinho, Uísque, Cachaça (Pinga), Vodka, Conhaque, Rum, Tequila, Saquê, Champagne, Grapa, Absinto, Gim, Licor etc.

 

Aspectos Históricos

Registros arqueológicos revelam que o consumo do ácool pelo homem datam de aproximadamente 6000 anos antes de Cristo, portanto uma das drogas mais antigas conhecidas pela humanidade Muitos desses registros arqueológicos também fazem menção ao álcool como uma bebida divina o que relacionam a bebida ao uso religioso por alguns povos A obtenção do álcool por meio de destilação foi descoberta pelo povo árabe ainda na idade média. Um fato bastante interessante é o de praticamente todos os povos conhecerem e dominarem algum tipo de processo para se obter bebidas alcoólicas. Os índios brasileiros, desde o descobrimento do Brasil, produzem o “cauim”, uma bebida alcoólica feita da mastigação da mandioca e fervida em um recipiente de cerâmica.

 

Aspectos Gerais

Apesar do desconhecimento de muitas pessoas, o álcool também é uma droga psicotrópica, pois atua no sistema nervoso central provocando mudanças no comportamento de quem consome. É uma droga lícita e por isso tem grande aceitação e até mesmo incentivo da sociedade. Hoje em dia é, na grande maioria dos casos, a primeira droga que se tem contato, pois o acesso é fácil, muitas vezes se dá em casa e na presença de familiares e é encarado como um processo de passagem para a vida adulta, por isso incentivado e bem visto.

 

Efeitos no Cérebro

Em pequenas doses causa desinibição, euforia (por isso confundida como droga estimulante do SNC quando na verdade é depressora), perda da capacidade crítica e comprometimento da coordenação motora e de reflexos, hilariedade e labilidade afetiva (a pessoa ri ou chora por motivos poucos significativos).

Em doses um pouco mais elevadas provoca ataxia (incoordenação motora mais significativa), fala pastosa e de difícil compreensão, comprometimento no tempo de resposta (reflexos lentos) e aumento da sonolência e dificuldades de raciocínio e concentração.

Em doses elevadas es causa sensação de anestesia, forte sonolência, sedação e perda total da coordenação motora, de reflexos e capacidade de raciocínio. Pode causar diplopia (visão dupla), náusea e vômitos,  acentuação da ataxia (podendo entrar em estado de coma), hipotermia e morte por parada respiratória.

 

Efeitos em outras partes do corpo

Pode causar problemas no fígado (esteatose hepática, hepatite alcoólica e cirrose), no aparelho digestivo (gastrite, sídrome da má absorção e pancreatite) e no sistema vascular (hipertensão e problemas cardíacos) além de polineurite alcóolica (formigamento, dor e cãibras nos membros inferiores).

 

Outras Consequências

É a droga com maior relação com acidentes de trabalho e de transito. O consumo do alcool durante a gestação ou período de amamentação pode trazer consequências para o feto e para o recém-nascido como problemas de má-formação ou problemas mentais e de desenvolvimento. Os fatores que podem levar ao alcoolismo envolvem aspectos de origem biológica, psicológica e sociocultural. O alcoolismo é a terceira doença que mais mata no mundo, as principais causas são acidentes automobilísticos, cirrose hepática e suicídio.

 

Mais Informações:

 

1)       Apesar de desenvolver tolerância, quando o usuário é acometido de cirrose hepática ou outra doença que diminui a atividade normal do fígado é comum a pessoa apresentar características de embriagues “pesada” com pouco consumo de álcool, já que o fígado é o órgão responsável por processar as moléculas do álcool no organismo.

2)      Hoje a ciência diferencia bebedores em bebedores leves, moderados e pesados. Bebedores leves são aqueles que consomem menos do que 21 unidades de álcool na semana no caso de homens ou 14 unidades de álcool. no caso de mulheres. Os moderados são aqueles que consomem de 22-50 unidades/semana (homens) e 15-35 unidades/semana (mulheres); e os bebedores pesados são aqueles que consomem acima de 51 unidades/semana para homens e de 36 unidades/semana para mulheres. Lembrando que uma unidade álcool equivale à 10gramas de álcool e que, por exemplo, uma latinha de cerveja de 350ml com 4% de álcool equivale à 1,5 unidade.

3)      A ciência também reconhece que o fato de uma pessoa ser considerada bebedor pesado não significa que seja alcoolista (dependente do álcool). A classificação como dependente não está atrelada somente à quantia consumida, mas principalmente á fatores que comprometem sua vida social, familiar e profissional, falta de controle durante o consumo, síndrome de abstinência e desenvolvimento de tolerância.

 

FONTES:

 

Sites

http://www.unifesp.br/dpsicobio/cebrid/quest_drogas/index.htm
http://www.obid.senad.gov.br/portais/mundojovem/index.php
http://www.obid.senad.gov.br/portais/OBID/index.php
http://www.ufrgs.br/Psiq/Caballo%206_8.pdf

Livros

Prevenção ao uso indevido de drogas: Capacitação para conselheiros e lideranças comunitárias. – 2. Ed. – Brasília: Presidência da República. Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas – Senad, 2010.

ALCOOL 2.jpg