logotipo
cocaina.jpg

COCAÍNA

 

Classificação

Quanto à legalidade: Ilícita

Quanto aos efeitos: Estimulante do Sistema Nervoso Central (SNC)

 

Origem

Substância extraída da folha de coca, planta encontrada na América do sul.

 

Onde está presente

“pó”, “brilho”, crack, merla, pasta-base.

 

Aspectos Históricos

A cocaína “industrializada” popularizou-se na década de 70. Entretanto o uso “cultural e religioso” está presente entre os povos mais antigos das américas que faziam uso da substância através de chás das folhas da coca ou da mastigação.

 

Aspectos Gerais

É uma das drogas ilícitas mais consumidas no mundo. Além do cloridato de cocaína (pó), que é a cocaína refinada, também são subprodutos obtidos durante o refino, e consumidos como droga, o crack, a merla e a pasta de coca que diferenciam-se pelo nível de pureza. O pó normalmente é aspirado ou dissolvido em água e injetado na veia. O crack é aquecido e fumado em cachimbos normamente improvisados assim como a merla. A pasta de coca é o produto mais grosseiro obtido nas primeiras fases do refino, por isso muito contaminadas por solventes e ácidos. É consumido em forma de cigarros.

 

Efeitos no Cérebro

Sensação de poder, excitação e euforia. Estimulam a atividade física e mental causando inibição do sono e diminuição do cansaço e dam fome. Podem aparecer insônia, ansiedade, paranóia, sensação de medo e/ou pânico, irritabilidade e liberação de agressividade. O uso prolongado pode causar destruição dp tecido cerebral. O tempo para “produzir ” o efeito varia de acordo com o tipo usado. O crack e a merla levam apenas alguns segundos para produzir o efeito (10 a 15 segundos), já o pó injetado na veia leva de 3 a 4 minutos enquanto que aspirado pode demorar de 10 a 15 minutos.

 

Efeitos em outras partes do corpo

Pode causar taquicardia, febre, dilatação das pupilas, suor excessivo e aumento da pressão arterial. Perda de peso (devido a perda do apetite).

 

Outras Consequências

O efeito da cocaína é tão prazeroso que logo após o desaparecimento desse efeito ( que varia entre 5 minutos no caso do crack e da merla e 30 a 40 minutos no caso do pó) o usuário sente a necessidade de usá-la novamente, repetidamente até acabar seu “estoque” ou o dinheiro para adquiri-la. Essa compulsão é avassaladora, principalmente no caso da merla e do crack, pois os efeitos são tão rápidos quanto intensos. A perda de apetite pode fazer um usuário perder de 8 a 10 kilos em menos de 1 mês. Em um tempo um pouco maior o usuário perde qualquer noção básica de higiene e auto estima. Por ser uma droga muito usada por meio de injeções, com frequência os dependentes acabam contraindo doenças como hepatite e aids. O ]uso por gestantes também deve ser bastante restrito pois pode ocasionar lesões ou defeitos físicos no feto.

 

Mais Informações:

 

1) A cocaína, o crack, a pasta da coca, a merla (ou mela), a farinha ou pó, todos estes nomes indicam diferentes preparações obtidas da planta coca; portanto todos estes produtos da coca contem cocaína. A pasta de coca e amerla, são produtos com muitas impurezas e a cocaína que neles existe está sob uma forma que chamamos de base (cocaína básica) insolúvel na água, mas que pode ser fumada. O mesmo ocorre com o crack que se apresenta em forma de pequenas pedras, que também tem a cocaína básica e é bastante fumada.

Já a farinha ou  é a cocaína sob a forma de um sal, cloridrato de cocaína que é solúvel na água. O uso do pó é por aspiração (“cafungar” ou cheirar, fazendo o pó entrar pelas narinas) ou por injeção endovenosa (injetar “pelos canos”).

 

2) Consumo simultâneo de bebidas alcoólicas e cocaína Consumir cocaína juntamente com bebidas alcoólicas produz conseqüências mais graves do que o uso destas substâncias separadamente. Ingerir o álcool aumenta a “fissura” (vontade incontrolável de sentir o prazer que a droga provoca) pela cocaína, os riscos de episódios de perda de controle e intoxicação mais grave.

 

3) Cocaetileno – Quando se consome a cocaína juntamente com bebidas alcoólicas, fenômeno frequentemente observado entre usuários de cocaína, o fígado combina as duas drogas e produz uma terceira substância, denominada cocaetileno, que intensifica os efeitos euforizantes da droga, mas é extremamente prejudicial ao organismo e aumenta os riscos de morte súbita.

 

FONTES:

 

Sites

http://www.unifesp.br/dpsicobio/cebrid/quest_drogas/cocaina.htm

http://www.obid.senad.gov.br/portais/mundojovem/index.php

http://www.obid.senad.gov.br/portais/OBID/index.php

 

cocaina2.jpg