logotipo
Calmantes.jpg

CALMANTES E SEDATIVOS

 

Sedativo é o nome que se dá aos medicamentos capazes de diminuir a atividade de nosso cérebro, principalmente quando ele está num estado de excitação acima do normal. O termo sedativo é sinônimo de calmante ou sedante.

 

Classificação
Quanto à legalidade: Licita (remédios controlados)
Quanto aos efeitos: Depressoras do Sistema Nervoso Central (SNC)

 

Origem
Substâncias sintéticas produzidas em laboratório, normalmente remédios que contém barbitúricos.

 

Onde está presente
Remédios que possuem na fórmula, substâncias como butabarbital ou secobarbital (dois tipos de barbitúricos). Antigamente remédios como Cibalena, Veramon, Optalidom e Fiorinal continha essas substância, mas foram modificados e retirados de sua composição.
Hoje podemos encontrá-los em medicamentos como: amytal, veronal, butisol, gardenal, luminal, evipal, pentotal, comital, mebaral, nembutal, seconal, surital e edelvinal, entre outros.

 

Aspectos Históricos
Essas drogas foram descobertas no começo do século XX, e diz a história que o químico europeu (Adolf Von Baeye) que fez a síntese de uma delas pela primeira vez foi comemorar em um bar. E, lá, encantou-se com um garçonete chamada Bárbara Em sua homenagem resolveu dar ao composto recém-descoberto o nome de barbitúrico Outras fontes dizem que o nome é uma homenagem à Santa Barbára, já que o dia em que o químico fez a descoberta era dedicado á ela.

 

Aspectos Gerais
Muitas pessoas utilizam-se dessas substâncias por possuírem problemas médicos e fazem uso sob orientação médica e adquirem os remédios em farmácias através de receituário específico e controlado pelo governo. Essa é a maneira correta e se o médico receitou deve ser usado na quantidade estipulada e pelo temo determinado.
Entretanto uma boa parcela de usuários faz uso sem acompanhamento médico algum e sem ao menos ter doenças que o justifiquem. Dessa forma adquirem os remédios de forma clandestina.(automedicação).
Segundo o II Levantamento Domiciliar sobre o Uso de Drogas Psicotrópicas no Brasil – estudo envolvendo as 108 maiores cidades do país, realizado em 2005 pela Secretaria Nacional Antidrogas em parceria com o Cebrid/Unifesp e que envolveu 7.939 pessoas, entre 12 e 65 anos – revelou que a estimativa de uso sem receita médica de Barbitúricos é de menos de 1%, sendo citados produtos, tais como: Gardenal, Pentotal e Comital.

 

Efeitos no Cérebro
Em doses terapêuticas causam sonolência, relaxamento e sensação de calma, efeitos esperado como medicamento. Em doses pouco maiores causam sintomas parecidos com o da embriagues, fala pastosa e comprometimento da coordenação motora Em grandes doses pode afetar as áreas do cérebro que comandam funções do coração, pressão arterial e pulmonar Por conta disso pode provocar parada cardíaca ou respiratória.

 

Efeitos em outras partes do corpo
Não afeta outras partes do organismo, no entanto, em doses maiores pode afetar áreas do cérebro que comandam funções do coração, pressão arterial e pulmonar Por conta disso pode provocar parada cardíaca ou respiratória. A diferença entre a dose terapêutica (recomendada pelos médicos) e a dose que começa intoxicar o organismo é muito pequena.

 

Outras Consequências
O uso por gestantes também deve ser bastante restrito pois essas substâncias tem potencial teratogênico (capacidade de produzir mal formação no feto) pode ocasionar lesões ou defeitos físicos no feto. Também, pode causar síndrome de abstinência (dificuldade respiratória, irritabilidade, dificuldade com sono e alimentação) em bebês cujas mães fizeram uso durante a gravidez.
Dificulta processo de aprendizagem e concentração. Afeta a capacidade de reflexos rápido o que torna perigoso dirigir e operar máquinas efeito dessas substâncias.

 

Nível de Dependência
São grande as evidências que os barbitúricos provocam dependência e tolerâncias. Esses efeitos acontecem com maior rapidez quando são ministradas grandes doses desde o início. Também causa síndrome de abstinência quando se interrompe o uso. A síndrome de abstinência por barbitúricos causa insônia, delírios, ansiedade, angustia, convulsões irritação e em muitos casos requer tratamento médico e internação hospitalar pois há o risco da pessoa falecer.

 

Mais Informações:
Quando um sedativo é capaz de diminuir a dor é chamado de analgésico Já quando o sedativo é capaz de afastar a insônia é chamado de hipnótico ou sonífero E quando um calmante tem o poder de atuar mais sobre estados exagerados de ansiedade é denominado de ansiolítico. (explicado separadamente neste site por ter algumas características próprias)

FONTES:

 

Sites
http://www.unifesp.br/dpsicobio/cebrid/quest_drogas/index.html
http://www.obid.senad.gov.br/portais/mundojovem/index.php
http://www.obid.senad.gov.br/portais/OBID/index.php http://www.ufrgs.br/Psiq/Caballo%206_8.pdf

 

Livros
Prevenção ao uso indevido de drogas: Capacitação para conselheiros e lideranças comunitárias. – 2. Ed. – Brasília: Presidência da República. Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas – Senad, 2010.

Voltar