logotipo
maconha.jpg

MACONHA

 

Classificação

Quanto à legalidade: Ilícita

Quanto aos efeitos: Perturbadora do Sistema Nervoso Central (SNC)

 

Origem

Folha da planta Cannabis Sativa.

 

Onde está presente

Maconha, haxixe, “baseado”, “fino”, “marron” Hashishi, Bangh,  Ganja, Marijuana, Djamba, “du bom”, Skank.

 

Aspectos Históricos

Conhecida pelos povos sul americanos há pelo menos 5.000 anos que usavam principalmente em rituais religiosos. Até o início do século XX era considerada em muitos países, inclusive no Brasil como medicamento para vários males. Com o aumento do uso “não medicinal” e suas consequências indesejadas, foi nos ultimos 50 a 60 anos pro´bida em quase todo o mundo ocidental. Devido a sua grande qualidade medicinal, principalmente no combate aos efeitos colaterais de certos anticancerígenos e efeito benéfico no tratamento de certas epilepsias éuma droga bastante polêmica quanto à sua legalização/utilidade.

 

Aspectos Gerais

O THC (delta 9 tetrahidrocanabinol) é a substância química produzida pela maconha e responsável pelos efeitos desta. Sua concentração, e portanto sua potência, varia de acordo com solo, clima, estação do ano, época de colheita, tempo decorrido entre colheita e uso. O skank é uma espécie de maconha cultivada em laboratório, com efeito concentrado. O que diferencia o skank da maconha comum é a capacidade entorpecente. Em ambos, o princípio psico-ativo é o tetra-hidro-canabinol (THC). Na maconha, a concentração percentual nas folhas, flores e frutos prensados fica em torno de 2,5%. No skank, estudos apontam que o índice de THC pode ser de até 35%. Com isso, a quantidade necessária para a planta modificada produzir a mesma sensação da normal é muito menor, porém a torna muito mais viciante. Mesmo na maconha produzida de maneira tradicional, hoje ela possui um teor de THC cerca de seis a oito vezes maior que nos anos 60 è feito conseguido com o selecionamento de plantas.

 

Efeitos no Cérebro

Os efeitos da maconha são divididos em agudos (ocorrem até após algumas horas depois de fazer uso) e crônicos (consequências que aprecem após o uso continuado por semanas, meses ou anos). Efeitos agudos: sensação de bem-estar, sensação de calma e relachamento ou então, dependendo da pessoa pode sentir angústias, ansiosas, pânico, além de evidente lentidão de racicínio, perda de capacidade para calcular tempo e espaço, prejuízo de memória (principalmente a de curto prazo) e de atenção. Delírios e alucinações são frequentes. Já os efeitos crônicos são: Diminuição a capacidade de aprendizagem e memorização, amotivação, dependência psiquica, Piora ou preconiza o surgimento de outras doenças psiquicas como esquizofrenia e sindrome do pânico.

 

Efeitos em outras partes do corpo

O THC na maconha é absorvida pelos tecidos gordurosos de vários órgãos, onde são armazenados. Podemos encontrar restos de THC nos exames regulares de urina até vários dias depois da pessoas ter fumado. Efeitos agudos: Hiperemia das conjuntivas (olhos vermelhos), xerostomia (boca seca) e taquicardia. Efeitos crônicos, Problemas rspiratórios como bronquite e cancer do pulmão,. Diminui em 50% a 60% da produção de testosterona, e por consequencia, a diminuição do número de espermatozóide (oligospermia). Na mulher, o uso de Maconha, perturba o ciclo menstrual e altera o metabolismo da ovulação resultando períodos imprevisíveis de infertilidade.

 

Outras Consequências

Dirigir sob o efeito de maconha pode triplicar o risco de se envolver em um acidente fatal de trânsito. A maconha é dez vezes mais cancerígena que o cigarro. A maconha foi confirmada como um trampolim para as drogas mais pesadas. Filhos de viciados em Maconha, podem nascer com defeitos congênitos, pois alteram a forma de seus cromossomos.

 

Mais Informações:

 

1) O hashishe é uma forma concentrada da maconha, com a forma de uma bolota. A pessoa pode engolir a bolota ou pode fuma-la. O hashishe é bem mais potente que as folhas e flores da maconha. O skunk nada mais é do que uma variedade da planta que foi selecionada para produzir uma quantidade bem maior de THC. É claro, portanto, que o skunk é mais potente que a maconha comum.

2) A maconha prejudica principalmente a memória a curto prazo; exemplificando: Vamos supor que alguém esteja em casa com um amigo e vão pedir uma pizza, ela olha o telefone na caderneta e, quando começa a discar já se esqueceu o número que acabou de olhar, tendo que consultar novamente a caderneta. Obviamente que nesse caso não há grandes prejuízos, mas, se a pessoa estivesse em seu trabalho ou estudando e necessitasse de uma atenção maior, com certeza estaria tendo problemas.

 

FONTES:

 

Sites

http://www.unifesp.br/dpsicobio/cebrid/quest_drogas/maconha.htm

http://www.obid.senad.gov.br/portais/mundojovem/index.php

http://www.obid.senad.gov.br/portais/OBID/index.php